Reflora

Programa REFLORA
<p>O estudo de espécies da flora do Brasil, reconhecida como a mais rica do mundo (Forzza et al. 2012) tem uma longa trajetória. Nos séculos 18 e 19, naturalistas estrangeiros, visitantes ou residentes no país, ou mesmo alguns poucos botânicos brasileiros coletavam as amostras vegetais e as remetiam aos herbários europeus. O objetivo principal deste período era estudar a flora e o seu potencial de utilização. Grande parte das coleções destes naturalistas foi utilizada na descrição de novos táxons (tipos nomenclaturais) ou integraram o conjunto de amostras que serviram de base para descrição das mais de 22.000 espécies da Flora brasiliensis (Martius, Eichler & Urban 1840 –1906).</p> <p>O <a href="http://www.cnpq.br/web/guest/programas">Programa REFLORA/CNPq</a>, uma iniciativa do governo brasileiro, tem como objetivo principal o resgate de imagens dos espécimes da flora brasileira e das informações a eles associadas, depositados nos herbários estrangeiros para a construção do <strong>Herbário Virtual Reflora</strong>. Os primeiros parceiros desta iniciativa foram o Royal Botanic Gardens de Kew (<strong>K</strong>) e no Muséum National d’Histoire Naturelle de Paris (<strong>P</strong>/<strong>PC</strong>). A partir de 2014, com apoio do <a href="http://www.sibbr.gov.br/">SiBBr</a> (Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira), outros herbários europeus e americanos foram incluídos na iniciativa, são eles: Missouri Botanical Gadens (<strong>MO</strong>), The New York Botanical Garden (<strong>NY</strong>), Naturhistorisches Museum Wien (<strong>W</strong>), Naturhistoriska Riksmuseet (<strong>S</strong>) e Smithsonian Institute (<strong>US</strong>). A base física do Herbário Virtual REFLORA está instalada no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, que é responsável pelo recebimento das imagens e transcrição dos dados. Assim, tanto as imagens e informações textuais provenientes do repatriamento, quanto as imagens e os dados textuais do acervo do herbário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (<strong>RB</strong>) estão sendo disponibilizadas para a comunidade científica e para o público em geral.</p> <p>Além dos herbários europeus e americanos, a partir de 2014 também demos início a publicação de imagens e dados de acervos nacionais. Com o apoio do <a href="http://ifn.florestal.gov.br/">IFN</a> (Inventário Florestal Nacional), do SiBBr e do próprio Programa Reflora vários herbários estão recebendo equipamentos e treinamento para digitalização dos espécimes. São eles: Herbário Manuel de Arruda Câmara (<strong>ACAM</strong>), Herbário Alexandre Leal Costa (<strong>ALCB</strong>), Herbário da Universidade Federal de Sergipe (<strong>ASE</strong>), Herbário da Universidade Federal do Oeste da Bahia (<strong>BRBA</strong>), Herbário da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (<strong>CEN</strong>), Herbário do Centro de Pesquisas do Cacau (<strong>CEPEC</strong>), Herbário da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (<strong>CGMS</strong>), Herbário da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (<strong>COR</strong>), Herbário da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Dois Vizinhos (<strong>DVPR</strong>), Herbário Prisco Bezerra (<strong>EAC</strong>), Herbário da Embrapa Clima Temperado (<strong>ECT</strong>), Herbário da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (<strong>ESA</strong>), Herbário da Figueira (<strong>FIG</strong>), Herbário do Departamento de Botânica da Universidade Federal de Santa Catarina (<strong>FLOR</strong>), Herbário da Universidade Estadual de Londrina (<strong>FUEL</strong>), Herbário Dr. Roberto Miguel Klein (<strong>FURB</strong>), Herbário Barbosa Rodrigues (<strong>HBR</strong>), Herbário da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (<strong>HCF</strong>), Herbário do Departamento de Ciências Florestais da Universidade de Santa Maria (<strong>HDCF</strong>), Herbário Ezechias Paulo Heringer (<strong>HEPH</strong>), Herbário Engenheira Agrônoma Fátima Meckedece (<strong>HSTM</strong>), Fundação Universidade Federal do Tocantins (<strong>HTO</strong>), Herbário da Universidade Estadual do Centro-Oeste - Irati (<strong>HUCO</strong>), Herbário da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (<strong>HUCP</strong>), Herbário da Universidade Estadual de Feira de Santana (<strong>HUEFS</strong>), Herbário da Universidade Estadual de Maringá (<strong>HUEM</strong>), Herbário da Universidade do Estado de Minas Gerais - Carangola (<strong>HUEMG</strong>), Herbário do Centro de Biociências e Biotecnologia da UENF (<strong>HUENF</strong>), Herbarium Uberlandense (<strong>HUFU</strong>), Herbário da Universidade do Estado da Bahia (<strong>HUNEB</strong>), Herbário da Universidade Estadual de Ponta Grossa (<strong>HUPG</strong>), Herbário da Embrapa Amazônia Oriental (<strong>IAN</strong>), Herbário da Reserva Ecológica do IBGE (<strong>IBGE</strong>), Herbário da Universidade Federal do Rio Grande Do Sul (<strong>ICN</strong>), Herbário do Museu Botânico Municipal (<strong>MBM</strong>), Herbário do Museu de Biologia Mello Leitão (<strong>MBML</strong>), Herbário do Museu Paraense Emílio Goeldi (<strong>MG</strong>), Herbário Honório Monteiro (<strong>MUFAL</strong>), Herbário da Universidade Federal de Pelotas (<strong>PEL</strong>), Herbário Municipal de São Paulo (<strong>PMSP</strong>), Herbário do Departamento de Botânica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (<strong>RBR</strong>), Herbário da Universidade Federal da Fronteira Sul (<strong>REAL</strong>), Herbário da Universidade Federal do Rio de Janeiro (<strong>RFA</strong>), Herbário da Faculdade de Formação de Professores da UERJ (<strong>RFFP</strong>), Herbário Rondoniense (<strong>RON</strong>), Herbário da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (<strong>SJRP</strong>), Herbário da Universidade de São Paulo (<strong>SPF</strong>), Herbário da Universidade de Brasília (<strong>UB</strong>), Herbário da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (<strong>UFRN</strong>), Herbário da Universidade Paulista (<strong>UNIP</strong>), Herbário da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (<strong>UNOP</strong>), Herbário do Departamento de Botânica da Universidade Federal do Paraná (<strong>UPCB</strong>), Herbário Central da Universidade Federal do Espírito Santo (<strong>VIES</strong>).</p> <p>Assim como o <strong>Herbário Virtual Reflora</strong>, o sistema da <strong>Flora do Brasil 2020</strong> também é parte integrante do Programa Reflora. Neste contexto, a Flora do Brasil funciona como um validador para os nomes atribuídos às imagens do Herbário Virtual Reflora, que também será atualizado e enriquecido por taxonomistas trabalhando em rede em um sistema online.</p> <p>Acreditamos que as plataformas de trabalho do Herbário Virtual Reflora e da Flora do Brasil 2020 serão ferramentas imprescindíveis para que o Brasil cumpra a primeira meta da Estratégia Global para a Conservação de Plantas (GSPC-CDB) para 2020, que é a elaboração da Flora do Brasil Monografada, com acesso online.</p>
Contato reflora@jbrj.gov.br

Administrado pelo Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Desenvolvido por COPPETEC-UFRJ